• Denise Brunholi

Relacionamentos saudáveis

Atualizado: 1 de mar. de 2019


Viver é relaciona-se, mas nem todo mundo está preparado para viver um relacionamento saudável.

No relacionamento saudável a convivência é leve, os problemas são resolvidos de maneira racional e amistosa. Ambos os parceiros cuidam e se sentem cuidados um pelo outro.

Há equilíbrio emocional e respeito um com o outro, a autoestima se fortalece, a saúde emocional e física se revitalizam.


Para manter um relação equilibrada, estável e saudável não são necessários grandes sacrifícios. O bom senso, respeito e empatia tornam o relacionamento positivo e feliz.


Veja alguns comportamentos que podem fortalecer os laços na relação:

- Cultivar o afeto e a admiração um pelo outro;

- Saber ouvir o parceiro sem julgamentos e acusações;

- Apoiar um ao outro nos momentos de decisões;

- Sair juntos para compartilhar e aproveitar momentos agradáveis e felizes;

- Evitar frases autoritárias;

- Pedir com carinho e agradecer;

- Respeitar o tempo e o ritmo do outro.


Ninguém quer um relacionamento problemático e conflituoso, portanto mantenha o controle emocional não usando termos agressivos, palavrões, acusações e ataques sem fundamentos e desproporcionais.


Pessoas agressivas em suas comunicações não conseguem criar vínculos fortes e duradouros. Crie um ambiente favorável para que haja um diálogo tranquilo e amistoso e pratique a empatia, aprendendo a ouvir, respeitando o outro, não cedendo aos impulsos cuidando dos gestos e tom de voz.


Os conflitos num relacionamento são necessários para o alinhamento da relação, mas é preciso que haja capacidade e meios de administrar as diferenças, promovendo o progresso dos parceiros, sem que uma parte se anule para que o outro cresça e se sobressaia.


Um relacionamento saudável deve ser um projeto comum onde ambas as partes visem o bem estar do outro como um todo.


Diante de qualquer desajuste, comportamentos abusivos ou doentios, um psicólogo é de grande importância para reencontrar o equilíbrio da relação, fortalecer a autoestima e o emocional e, se houver ruptura, o psicólogo ajudará na vivência desse "luto" para o recomeço de um novo ciclo, representando um suporte para seguir em frente e resgatar a vontade de viver.



50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo